quarta-feira, 17 de junho de 2020

Eleições municipais em Curitiba - Quem faz parte da atual gestão da cidade?

Antes de conferir a lista de candidatos prefeito curitiba vale conferir qual é o panorama geral mantido hoje pela câmara municipal da cidade, resultado das eleições municipais de 2016. Vários dos que se elegeram já disseram ter intenções de manter o posto. Entre eles, o próprio prefeito Rafael Greca e vereadores de sua cúpula.


Prefeito eleito em Curitiba

O atual prefeito de Curitiba é o Rafael Greca, eleito em 25 de outubro. A carreira política iniciou em 1983, ingressou no Partido Democrático Trabalhista (PDT) que deixou em 1997 juntamente com o Jaime Lerner e Cássio Tanigushi. Além disso, também pasosou pelo PMBD até 2015 e pelo Partido da Mobilização Nacinoal, quando concorrer pela prefeitura de Curitiba e eleito em primeiro durno entre 1993 a 1997.  Durante sua gestão relaizou obras de urbanização da cidade acompanhado pelo governador Jaime Lerner. 

Depois de acabar sua gestão, foi eleito em seguida, em 1998, deputado federal dos mais votados no Paraná no ano. Seguinte, foi minitro do Esporte e Turismo no governo FHC e fez parte do Ministério Público federal da Justiça. Nesse momento, foi acusado de envolvimento com a máfia dos bingos e autorizar irregularmente a instalação de máquinas caça níquel, entretanto absolvido. Nos anos 2000 foi szecretário da Comunicação Social do Estado do Paraná no governador Jaime Lerner e, mais tarde, voltou a ingressar na política somente em 2016 ganhando em segundo turna as eleições para a prefeitura de Curitiba.

Veja a lista dos vereadores eleitos em 2016

    Nas últimas eleições municipais da capital paranense 23 conseguiram reeleger nas eleições e ingressaram na câmara municipal:

  • Serginho do Posto (PSDB) - 11.272
  • Beto Moraes (PSDB) - 10.097
  • Jairo Marcelino (PSD) - 8.865
  • Zezinho Sabará (PDT) - 8.473
  • Osias Moraes (PRB) - 8.239
  • Mestre Pop (PSC) - 8.210
  • Pier (PTB) - 7.868
  • Mauro Ignácio (PSB) - 7.721
  • Felipe Braga Côrtes (PSD) - 7.708
  • Helio Wirbiski (PPS) - 7.618
  • Toninho da Farmácia (PDT) - 7.549
  • Tito Zeglin (PDT) - 7.447
  • Fabiane Rosa (PSDC) - 7.321
  • Professor Euler (PSD) - 7.188
  • Dona Lourdes (PSB) - 7.142
  • Julieta Reis (DEM) - 6.821
  • Colpani (PSB) - 6.783
  • Goura (PDT) - 6.573
  • Sabino Picolo (DEM) - 6.565
  • Thiago Ferro (PSDB) - 6.298
  • Cristiano Santos (PV) - 6.151
  • Tico Kuzma (PROS) - 6.113
  • Marcos Vieira (PDT) - 5.980
  • Rogério Campos (PSC) - 5.748
  • Paulo Rink (PR) - 5.607
  • Geovane Fernandes (PTB) - 5.434
  • Dr. Wolmir (PSC) - 5.182
  • Maria Manfron (PP) - 4.633
  • Noemia Rocha (PMDB) - 4.615
  • Bruno Pessuti (PSD) - 4.562
  • Professora Josete (PT) - 4.432
  • Kátia dos Animais de Rua (SD) - 4.068
  • Cacá Pereira (PSDC) - 3.728
  • Mauro Bobato (PTN) - 3.580
  • Professor Silberto (PMDB) - 3.577
  • Oscalino do Povo (PTN) - 3.427
  • Drª Maria Leticia Fagundes (PV) - 3.311
  • Ezequias Barros (PRP) - 3.006

As características das campanhas eleitorais no Brasil

No Brasil, desde 1945 vem sendo implementado o voto preferencial para a eleição de parlamentares, bem como para a eleição dos representantes da Câmara dos Vereadores. Através do isto, " os jogos apresentam uma lista de nome sem definir prioridade, e a eleição preferencial é decisão exclusiva do eleitorna implementação do voto preferencial em eleições municipais com listas fechadas e desbloqueadas no Brasil, observa-se aumento da personalização da política, apesar do incremento que Experimente o poder de seleção dos eleitoresa lista fechada e não bloqueada estimula, e no caso brasileiro notamos com grande facilidade, as campanhas centradas nas figuras dos candidatos que, como dissemos, enfatizam tanto suas qualidades pessoais por sobre a dos candidatos de outras listas como em relação aos seus companheiros de partido ou coalizão.

Assim, a atenção política centra-se no candidato, em detrimento dos partidos políticos que são os gestores da democracia, em países da região em que existe uma democracia partidária.

Além disso, cabe mencionar que no caso brasileiro, com a implementação do voto preferencial em eleições municipais e congressuais, seprovocou uma fragmentação no sistema de partidos políticos.



Exemplos das campanhas eleitorais Brasileiras


O Brasil viveu algo parecido em1994, quando o sociólogo Fernando Henrique Cardoso venceu as eleições presidenciais na primeira volta com um folgado 54,24%. No último domingo Jair Bolsonaro, o candidato da ultradireita que concorre junto ao Partido Social Liberal (PSL), esteve a um passo de se tornar o novo presidente do Brasil ao obter um resultado arrebatador: 46% dos votos. Seu adversário Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores (PT), conseguiu um discreto 29,3%. Há ainda uma intensa campanha eleitoral, que se prevê muito polarizada até à segunda volta, fixada para 28 de outubro.

Quem ganha e quem perde nestas eleições presidenciais e Gerais, onde também havia que eleger 513 deputados federais, 54 senadores, 1.059 deputados estaduais e 27 governadores? O primeiro balanço que os especialistas traçam é que os políticos tradicionais foram derrotados pela rejeição à corrupção da maioria dos brasileiros. É uma aberração ...